Menáge Masculina

por Juliana

182Aconteceu na quarta. Que delícia! Meninos, obrigada. Gente, mais um conto gostoso pra vocês! Como sempre, original e de minha autoria.

Sentados em um bistrô em Copacabana esperávamos com ansiedade pelo amigo que logo chegaria. Antes da metade da garrafa de vinho, S. entra. Óculos, cavanhaque e cabelos quase nos ombros. Nos cumprimentamos com naturalidade e S. pede uma cerveja. Os assuntos são os mais variados, de genética à literatura à trabalho. Em pouco tempo somos expulsos do bistrô por conta da hora.

Ao caminho do carro passamos propositalmente por um dos bares da praia para repararmos nas prostitutas e os gringos que as cortejavam. Somos assim, os três, gostamos de sexo, de todas as formas. Chegando no carro o assunto já se volta para a safadeza enquanto tomamos rumo ao motel. T. sorri pra mim. Estávamos à algum tempo desejando essa situação.

No quarto sentamos os três na cama e continuamos o papo descontraído de antes. S. levanta e vai ao banheiro. T. me beija e me pergunta se estou confortável com a situação. Mais que confortável, eu estava excitada! Quando S. volta, estávamos num amasso gostoso. S. prontamente me abraça por trás e acaricia minhas pernas. Viro e beijo-o. Beijo que em seguida vira à três. Me afasto e assisto os meninos se pegarem. Que gostoso!

Ansiosos por me verem nua, retiram o meu vestido, revelando um corpete de renda roxa. Enquanto eu beijo o S., T. beija a minha bunda e passa as mãos nas minhas coxas. Viro-me e o beijo, agarrando a ereção ainda dentro da cueca. S. aperta os meus peitos. Coloco a mão dentro da cueca dele e começo a tocar uma punheta gostosa.

Em seguida abaixo e começo a mamar o pau do T., que escorre de prazer. S. não se contenta em apenas olhar e mete a boca também. Seguro a piroca do T. enquanto S. chupa com vontade. Então passo a minha atenção ao falo do S., que meto na minha boca com gula. Escuto T. gemendo de prazer enquanto S. lambe seu pau duro, e abaixa pra me ajudar a chupar S. Fico admirando os lábios do T. envolverem a pica do S.

S. deitado na cama, eu de quatro chupando sua rola e T. vem por trás de mim, enfiando seu pau todinho dentro da minha boceta inchada. Gemi de prazer enquanto ele socava com vontade, a piroca do S. ainda na minha boca. T. pergunta para S. se ele quer sentir o gosto da minha boceta. S. se move para baixo de mim e passa a língua no meu clitóris, T. volta a meter a rola.

Ficamos nessa durante um tempo e me canso dessa brincadeira. Ajoelho-me na cama e beijo T. S. vem por trás e passa os dedos no meu grelinho. Estou molhada, totalmente escorregadia. Aperto T. e solto um gemido quando S. enfia um dos dedos no meu cuzinho.

S. sai brevemente do quarto e retorna para me encontrar deitada na cama e o T. metendo na minha chaninha. Aproveitando-se da situação, aproximou o pau duro das nossas bocas, chupamos com tesão. Abrindo o pacote de camisinha, pede para T. colocá-la no seu falo. Me delicio em ver T. descendo a camisinha pelo corpo do cacete do S.

Deitada com a barriga pra cima, com as perna para o ar, S. mete sua pica dentro de mim. Solto um grito de prazer. T. assiste tudo de pertinho, com cara de satisfação. Ele adoro me ouvir gemendo. A mão dele alisa a bunda de S., seus dedos procuram pelo seu cu. S. geme quando T. introduz um dedo. -Mete a piroca!, pede S.

S. então deita de costas e T. enfia o pau duro no seu rabo. S. geme, fazendo cara de dor. -Ele gosta! Eu digo e dou um tapa em seu rosto. Assisto excitada enquanto T. soca com vontade e S. toca uma punheta. Quando ele anuncia que vai gozar, eu meto a boca e recebo toda a sua porra. Antes de engolir, dou um longo beijo no T., que divide comigo o sêmen com muito gosto.

Aproveito a rola ainda dura do T., sento em cima. Cavalgo gostoso enquanto S. se faz de fotógrafo, e bate algumas fotos. T. me joga na cama, me vira de bruços e mete a pica na minha xoxota. Enquanto puxa o meu cabelo, gemo de prazer. Mas estou cansada de ser passiva, viro para T. e digo que quem vai comer ele agora, sou eu.

Pego o strap-on, deito T. com a barriga pra cima e enfio o consolo no seu cu. S. assiste tudo com tesão e logo chega mais perto para esfregar o meu clitóris enquanto eu meto no T. Acelero e T. não aguenta, goza gostoso, um jato de porra lambuzando a sua barriga. Passo a língua. Sem pensar muito, T. me deita com a barriga pra cima, e cai de boca na minha boceta. S. enfia o pau na minha boca e eu mamo com vontade. Os dedos do T. me penetram de tal jeito que me contorço de prazer. Em alguns minutos solto um grito, arco as costas, me debato contra o colchão e relaxo, satisfeita.

Anúncios